publicidade

Rio do Sul/Equibrasil perde para o Praia Clube


Equipe rio-sulense não consegue ser páreo para as mineiras


Escrito em 10/01/2014


Jogando em Uberlândia, o Banana Boat/Praia Clube (MG) precisou de pouco mais de uma hora para derrotar o time Rio do Sul/Equibrasil por 3 sets a 0 na noite desta sexta-feira pela abertura do returno da Superliga Feminina. Com parciais de 21/11, 21/12 e 21/18, o time mineiro teve grandes momentos nos ataques e bloqueios, provando que é um dos times favoritos para chegar às finais do campeonato nacional.

Mari, que volta gradativamente de lesão às quadras, entrou no 3º set e também contribuiu para a vitória do time da casa. Mas o destaque principal ficou por conta de Monique, oposta do time do Praia Clube que marcou oito pontos de ataque e quatro de bloqueio.

Para o técnico de Rio do Sul, Rogério Portela, o jogo já teria seu alto grau de dificuldade para as meninas de Santa Catarina pelo plantel adversário e as qualidades técnicas que cada uma desempenha. A defesa do Praia Clube funcionou muito bem, assim como o bloqueio. E no ataque, o time contou com o potencial de várias de suas jogadoras, inclusive das meios-de-rede.

“Jogar com o Praia Clube é sempre muito difícil pela superioridade do plantel. A gente tem que reconhecer que as meninas e o técnico Spencer Lee tem feito por merecer para ficar entre os primeiros da Superliga”, comentou Portela.

O time catarinense volta para casa neste sábado e inicia a preparação para jogar a Copa Brasil de Voleibol que acontece em Maringá (PR) entre os dias 16 e 18. O time viaja para o Paraná no dia 14 para enfrentar o Unilever (RJ), no primeiro dia da competição. Quem vencer avança para a semifinal e o perdedor perder está eliminado. A competição reúne os oito melhor classificados na Superliga passada.

Rio do sul/Equibrasil volta a jogar pela Superliga apenas no dia 21 de janeiro, contra o SESI-SP, no ginásio da Vila Leopoldina, na capital paulista, a partir das 19h.

O jogo

Com um bloqueio afiado e a potência dos ataques da oposta Monique e da meio-de-rede Mayhara, o time mineiro começou o jogo cheio de gás. Rio do Sul/Equibrasil teve muita dificuldade de encontrar seu jogo logo no início, deixando o time do Praia Clube abrir boa vantagem e administrar o placar favorável em casa. Pelo lado das catarinenses, a principal aposta era com a ponta Natiele, mas ela não foi tão eficiente quanto na última rodada da Superliga.

O segundo set começou mais equilibrado e Rio do Sul começou a buscar a reação na partida nas mãos de Natiele. Só que pelo lado do time do triângulo mineiro, outra Nati também começou a se destacar, além de Monique. O bloqueio veio forte e garantiu nada menos que sete pontos neste fundamento na parcial, contribuindo para que as meninas comandadas por Spencer Lee levassem o set com facilidade.

O técnico de Rio do Sul, Rogério Portela fez algumas alterações durante o jogo com as levantadoras Jordane e Jaque, além da entrada da oposta Arianne e da ponta Priscila. Mas o resultado não surtiu o efeito desejado. Mesmo com um terceiro set melhor, e que contou com a entrada de Mari e da cubana Herrera, que também se recupera de lesão, o time de Rio do Sul conseguiu jogar um pouco melhor e também teve seu bom momento no bloqueio. Mas a vantagem aberta pelas mineiras garantiram a vitória folgada em casa.

Com informações de Clóvis Cuco/Imprensa Vôlei Rio do Sul

PUBLICIDADE

Publicidade
Publicidade
Publicidade