publicidade

Técnico sempre acreditou que time não cairia


Silvio Criciúma também afirmou que se solicitado retornará ao clube do Alto Vale


Escrito em 14/04/2014


A partir da derrota para a Chapecoense por 1 a 0 na quarta rodada do returno do hexagonal o técnico Sílvio Criciúma tinha certeza que o Atlético Hermann Aichinger se manteria na Série A em 2015. É que os números começaram a jogar ao lado do time de Ibirama. Em caso de vitória no confronto direto contra o Brusque, desde que o Juventus não ganhasse da Chapecoense levaria a decisão para a última rodada e foi o que ocorreu. Com o 1 a 0 diante do Marcílio Dias, gol de Adriano aos 33min da etapa complementar a equipe Grená conseguiu atingir o seu terceiro objetivo, dos dois traçados anteriormente, que eram as vagas na Copa do Brasil e no Brasileiro da Série D.

O treinador observou que os problemas extracampo ocorridos no sábado, como a agressão ao presidente da FCF, Delfim de Pádua Peixoto Filho e o confronto entre a Polícia Militar e alguns torcedores não chegaram a tirar o brilho da vitória atleticana. “O nosso time poderia ter construído a vitória antes do gol do Adriano, por detalhes no último passe”. Sílvio Criciúma disse que não foi fácil permanecer durante oito rodadas. “Infelizmente tudo deu errado a partir do primeiro jogo quando perdemos para o Marcílio Dias em casa por 2 a 1”, recorda. O seu contrato com o Atlético encerrou, mas deixou claro que se houver interesse retorna. “Vim pra cá sem combinar a parte financeira, com o objetivo de ajudar o time a sair da situação difícil e se firmar como treinador fora do Criciúma”.

Considerado por parte da torcida como jogador muito “velho” para defender o Atlético, o atacante Adriano que vai completar 34 anos em junho ao final do jogo mandou um recado: “quando eu venho de uma sequência de jogos tem zagueiro novinho que não consegue me marcar”. Com 1,80m mais uma vez ele foi a referência na área, sofrendo o pênalti que resultou na vitória atleticana. “Peguei a bola com a certeza que iria fazer o gol que nos manteria na primeira divisão”. Adriano assumiu a condição de titular absoluto justamente na partida diante do Juventus, marcando dois gols. Ele esteve ameaçado de não jogar por conta de uma contratura muscular. “Tenho uma história aqui no clube, onde já marquei 54 gols”.

Fonte: Texto de Orlando Pereira/Imprensa Assessoria CAHA

PUBLICIDADE

Publicidade
Publicidade
Publicidade